Entropia Cognitiva

SOBRE

FELIPE V. ALMEIDA

Pantagruel é o personagem criado por François Rabelais em sua obra de cinco volumes repleta de humor, sátira, violência, escatologia e extravagâncias. O Pantagruelismo que não passa de “certa alegria do espirito que despreza coisas fortuitas” é a própria filosofia do gigante Pantagruel e deste, nada gigante, site.

O objetivo do Pantagruelista é difundir ideias que nos levem para fora de nossas zonas de conforto, ideias que nos façam questionar onde estão os limites. O interesse é intelectual, porém sem aspirações acadêmicas. Uso esse espaço de forma menos rigorosa enquanto me esforço para que tenha alguma qualidade. Deixo o rigor técnico para as pessoas sérias em publicações sérias.

Minhas incursões não se prendem a nenhuma área de conhecimento nem respeitam muitas regras além de acompanhar a capacidade desestabilizadora de alguns livros ou obras de arte. Parece descompromissado mas sirvo exatamente à ânsia de entrar em um estado de entropia cognitiva, onde tudo parece passar por uma revisão e sua mente se vê enriquecida com novas possibilidades criativas. Ânsia que sinto constantemente e nem sempre consigo satisfazer. Nos últimos anos aprendi que esse estado está sempre por perto quando nos perdemos em uma obra de arte ou nos abrimos para um novo diálogo com ideias desconhecidas e é essa condição de admiração, confusão e grandeza que tento compartilhar e propor através dos meus textos.