5 trechos: Invenção de Orfeu, Jorge de Lima

 

Épico, onírico, inquietante são adjetivos que faltam em intensidade para atribuir à grande obra final do poeta alagoano Jorge de Lima. Nesse livro a complexidade se une a uma miríade de referências a diversos conhecimentos para criar mais do que trechos significativos, um enorme texto que funciona em diversos níveis de interpretação, desde uma leitura verso a verso até uma visão total da obra. Correndo o risco de grandes distorções, seguem 5 trechos que podem te dar vontade de ler Jorge de Lima e seu “Invenção de Orfeu”.

1

Conheço quem vos fez, quem vos gorou,
rei animado e anal, chefe sem povo,
tão divino mas sujo, mas falhado,
mas comido de dores, mas sem fé,
orai, orai por vós, rei destronado
rei tão morrido da cabeça aos pés.
— Canto I, página 32

2

Nem tudo é épico e oitava-rima
pois muita coisa desabada
tem seu sorriso cotidiano
e uns dorsos suados, pés humanos,
dois utensílios: João e Joana
com seus pequenos firmamentos
entre corujas e cumeeiras.
— Canto V, página 227

3

Eram uns tempos grávidos de nomes,
era um rumor de apelos
e de dádivas.

Era um poema nascendo, era um mistério,
era um novo pecado
se movendo.

Era uma noite; e as cobras se enlaçavam
destronadas; e um mundo
se paria.
— Canto V, página 239

4

Em luz escurecida, chameada
em voz sucumbo-me, desvaneço-me,
ó fábula sem fim, reiniciada.
Luz de Deus, me perdoa. Não sou.
Pretendi. Disfarçaram-me em Lúcifer.
Sou teu filho vencido, tombado
em chão de ilha, cercado por faces
que me espreitam tenazes e duras.
O meu riso é salobro, entre dentes.
Esqueci tua Face acareada
com meu rosto imitado de Jó.
Cinza entre cinzas sou. Ó meu Rei,
“De profundis clamavi ad te, Domine”.
— Canto da Desaparição, página 260

5

Vamos comunicar nossas visões!
dizíamos, e logo os olhos míopes
ficavam marejados, mas com os ruídos,
mas com as serpes de fogo devorando-os.
(Oscilações, tibiezas, lutas grandes
sobre as montanhas móveis dessa fé!)

Recordávamos: houve muitas guerras,
muitos cantos de sangues e agonias,
os terrores cruzaram os caminhos,
os séculos estercados desses homens,
desses heróis sem brilho, desses ruins,
desses côncavos, desses mutilados.
— Biografia, página 322

Referência: Jorge de Lima. Invenção de Orfeu. São Paulo: Cosac Naify, 2013.